Páginas

13 de junho de 2012

Morando com estranhos

Qual o dever de uma família? Desde que eu me conheço por gente, desde as minhas lembranças mais remotas, busco por esta resposta. E hoje me pus a refletir se esta resposta realmente existe. Afinal de contas, tudo neste mundo é relativo. Não é?

Existem famílias que sempre foram pobres de espírito, famílias que nunca tiveram uma expectativa de vida e estão vivendo felizes, uns com os outros. Por outro lado existem famílias batalhadoras, que sempre buscam o seu melhor e sempre se ajudam a trilhar o caminho da vida. Mas a descrição de famílias vai muito além disso, é muito mais complexo do que apenas se amarem ou não. Ter condições sociais ou não.
Algumas pessoas acreditam em carma, outras no destino, outras em vidas passadas, outras em aprendizagem do ser humano, outras em nada. Existem pessoas que levam a sua família nas costas como um caramujo, e há aquelas que vivem a sua vida e deixam a família fazer algumas participações especiais. Em outras família é mais fácil puxar o tapete de alguém e ser superior.
Não tenho a prepotência de dizer quem está certo ou quem está errado, tenho a minha crença e sei bem no que acredito. Agora, gostaria de entrar em outra questão, e as nossas necessidades?
Isso mesmo as necessidades. De um dia chegar empolgada do trabalho e poder compartilhar esta alegria, chegar revoltada do trabalho ou da faculdade e poder despejar em casa, naquela pessoa que você sabe que pode confiar. Ficar doente e saber que haverá um abraço de consolo, um remedinho na cama. Nos momentos de dificuldade financeira poder contar com o apoio de quem pode, mesmo que esse apoio sejam apenas palavras de incentivo e de coragem para que possamos seguir em frente. Receber visitar e ir a festas sem precisar fingir que ama aquele que mora contigo.
Necessidade de apoio, carinho, compreensão e por que não de convivência. Será que o dever da família é simplesmente um existir? Será que o dever de uma família é mentir? Brincar de ser feliz?
Tenho amigos que comentam que família só serve para casamentos ou velórios. Por quê? Infelizmente na minha família nem mesmo isso acontece.
Sinto todos os dias que durmo com o inimigo, aquele que não perde a oportunidade de me apunhalar, de descontar coisas de seu passado ao qual eu não fiz parte. Seja com um olhar, com uma briga, com um xingamento disfarçado, ou até mesmo com o silêncio ....
Problemas emocionais, uma tempestade que ameaça me pegar de jeito, uma operação que o SUS não cobre, um convênio que não existe, um pai que nem sabe a data de nascimento da filha, entre tantas outras coisas o que mais importa na verdade é o dinheiro. As vezes penso que nem  isso, que o importante mesmo é pisar em quem já está na merda, para ter o gostinho da vitória e sentir o sabor da superioridade.
Drama? Nos dias de hoje está na moda. Mas se alguém souber a resposta da minha pergunta, estarei aqui esperando ...

3 comentários:

Unknown disse...

Pra que serve a família? Essa é uma pergunta que me faço às vezes, não em relação aos que moram comigo, mas ao "restante". Cheguei a conclusão que o "restante" é de onde vieram os que estão perto, alguns deles os definem, mas cabe a nós transformá-los (os nossos) e ser transformados por eles.
Pareço enigmática aí em cima, haha, mas se te ajuda saber, em todas as famílias tem problemas. Na minha também. Mas o que vale para todo mundo que quer nos ver cair é que a gente até pode cair, podem pisar em nós, caçoar, mas a gente volta mais forte, pode demorar e doer, mas volta, e aí vamos ver o quão pequenos são aqueles que nos queriam mal.
A roda gira mais rápido do que imaginamos.

Anônimo disse...

Sempre acreditei que familia fosse mais do que parentesco propriamente, ou até mesmo as pessoas que vivem na mesma casa que você.
Como você mesmo comentou são aquelas pessoas que te recebem quanto vc tem boas e más noticias. Só que infelizmente essas pessoas nem sempre estão por perto.
Eu te vejo de longe e nem imagina o que se passava, você tem tantos (ou ate mais) problemas do que eu.
Mas, você ainda tem essa "família" sem vínculos sanguíneos, que te ama muitooooo e estão sempre prontos para ouvir suas alegrias e tristezas sempre.
Desabafo totalmente valido!Mas nao deixa te vencer não. Se cuida,Te amo!

Thata Diacronia disse...

Bigadu gente!!!
Mas gostaria de saber quem é anonimo acima ... ^^